FILHO DE FAMÍLIA TRADICIONAL DE CORONEL BICACO ESTÁ PRESO EM LOCAL CHAMADO DE TUMBA



Depois de mais de uma semana de desinformação e graças à intervenção do Ministério das Relações Exteriores, o governo venezuelano finalmente comunicou às autoridades diplomáticas brasileiras em Caracas onde está Jonatan Diniz, preso desde 28 de dezembro passado. Segundo confirmaram ao GLOBO fontes brasileiras, o rapaz está detido na sede central do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin), na capital venezuelana. Esse foi o primeiro lugar onde as autoridades do consulado brasileiro procuraram Jonatan, mas num primeiro momento agentes do Sebin negaram que ele estivesse no local, chamado de “A Tumba” por ex-presos locais.

O nome se deve à profundidade do porão onde estão sete calabouços, segundo contou Raúl López, ex-preso político que em 2014 ficou dois meses no lugar. Segundo Raúl, os detentos estão a cerca de cinco andares debaixo da terra, totalmente isolados, suportando temperaturas baixíssimas (reguladas com ar condicionado) e luzes que permanecem 24 horas acesas.

— O objetivo é nos enlouquecer — disse Raúl, um médico fisioterapeuta que foi acusado de ter organizados protestos contra o governo Nicolás Maduro em fevereiro de 2014.

Ser parente distante do líder opositor Leopoldo López (que esteve mais de três anos detido e hoje cumpre regime de prisão domiciliar) o prejudicou e levou, segundo ele, as autoridades do país a o considerarem “um preso perigoso”.

— Na Tumba estão os presos que o governo mais teme, os que querem que estejam totalmente desconectados da realidade. Eu fiquei dois meses lá e só saí pela pressão de minha família e de meus advogados — assegurou Raúl, que continua com liberdade condicional e proibido de sair do país.

O governo brasileiro demorou mais de uma semana em descobrir que Jonatan está nesta espécie de prisão de máxima segurança do Sebin. Não foi comunicada ainda uma acusação formal contra o brasileiro.

Fonte: O GLOBO